Emilie deixou ressoar em seu coração a Palavra de Deus.... Palavra que ressoava em sua vida de Mulher.

 

Ela nos convida a reservar tempo para silenciar e escutar o que Deus nos diz: como ela, que soube escutar sua família e ouvir o sofrimento das jovens de seu tempo, exploradas nas usinas.... somos chamadas(os) a trabalhar para ajudar as pessoas em dificuldades, aqui e em todo lugar..

Sua mensagem é universal por sua abertura às outras culturas da África e de outros lugares. E esta escuta de si, dos outros e do mundo, Emilie nos convida a vivê-la em comunhão com Jesus e sob seu olhar de amor.

 

Ela construiu, escreveu... ao longo de sua vida. Mas ela soube enraizar sua ação e ver “Deus em todas as coisas e todas as coisas em Deus”. Ela nos chama a buscar sem cessar, Deus presente no centro da vida, nas menores coisas diárias...ela nos convida a aguçar nosso olhar para ver o mundo “com olhos de Jesus” e, assim, viver uma “ação contemplativa”.

           

Emilie considerou como prioridade a disponibilidade e a atenção ao pobres; correu o risco de ir ao encontro dos excluídos, dos presos ou das pobres filhas das ruas de Castres. Dedicou sua vida ao cuidado dos doentes, à educação dos jovens, à evangelização, à oração e à caridade: “Vão onde a voz do pobre as chamar!”. Ela nos chama a tornarmo-nos, nós também, missionárias onde estamos, ousando assumir posição a favor da justiça, da paz, do respeito e da atenção aos menores... em todas as situações de vida, e a fazer tudo isso por amor. Cabe a nós continuarmos a missão fazendo o bem sem olhar a quem e aqui estamos, tendo como inspiração esse grande exemplo de vida de Fé, humildade, caridade, amor, educação e Fé em Cristo.

Palavras pronunciadas no Encontro do Grupo MILFA de Poconé para a Equipe geral

 

Norma Gonçalina Campos de Arruda e Silva

(Membro do Grupo Milfa de Poconé)